OUÇA:   LEIA: Quem anda em pares,anda meio afogado de si. Veja o domingo. Dia ímpar da semana. Os demais dias, quando frios, acabam pareados, um atrás do outro, aguados e esquecidos, perdem as“imparidades”. Feito assim, nada se compara ao domingo, em tudo fora de hora, do café fora de hora, longe das salas de luz …

0 59

OUÇA: LEIA: O silêncio da madrugada é estilhaçado por um coração que bate forte em meu peito. Uma batida só. Tum! Tão forte que escuto daqui de fora e sinto tremer meu corpo querendo dormir. A cabeça, esta ingrata e cheia de nós, esquece de tudo e fica acordada, zumbizando pela casa. As gotas que …

0 76

OUÇA: LEIA: O corpo quente numa nudez crua, sem quase humanidade e envolto num pano cinza, ajeita pequenos trapos e papéis no chão frio em pedras de esquina suja. É quase noite.   Ele fala, conversa. Parece sozinho mas, não está.   O corpo não é visto e as gentes passam longe, desviando os olhos com …

0 76

OUÇA:   LEIA:   Letras mancando no branco Eu, que de pouca alegria Busco na história vazia O que da vida é só pó   Silêncio que faz o tempo Deste que resta do dia Na sombra da noite fria Vazia, mesmo tão só   Na mesa o papel esqueço Traço de minha agonia De …

0 69

OUÇA:   LEIA:   É difícil aprender a voar. Mais difícil ainda é alcançar a arte do pouso.   Os pássaros voam por aí simplesmente. E pousam numa habilidade que me faz inveja.   Queria escrever como o pouso do pássaro, muito mais do que o manjado voo. Como seus olhos miram um lugar, como …

0 99

OUÇA: LEIA:   Essa exigência do mercado me deixa danado da vida Seja feliz, conquiste, se ame, prometa a si mesmo que dará seu máximo Tudo isso me cansa demais. Só o horóscopo fazendo todos iguais no calendário Que sim, me cansa muito mais.   Tem outras ainda que considero o resumo da desgraça de …

0 111

OUÇA: LEIA: Aqui desta fresta da vida te vejo passando Imperfeita Não tanto quanto essas palavras   No espaço vazioaberto pelo sol e o tempo Cabem dois dedos no desenho aonde havia um nó Caído Uma curva na fresta que coincide num instante do seu andar Sincronia óptica que te faz desenho em sol, tempo …

0 85

OUÇA:   LEIA: E eu que nunca fiz Nem barcos de papel Já vi fazer e nunca aprendi Só fiz aviões para brincar com os ventos de fora esses que não sopram velas não giram moinhos não erguem pipas nem aí estão para as engenhocas dos homens São os melhores não se servem para nada …

0 64

OUÇA: LEIA:   Saudade é palavra inquieta Difícil atingir tradução Corpo tomado em falta e aflição Quem se mete com ela, acaba virando poeta   Um sentimento tão nobre Por vezes é pura necessidade Não tem fronteira, nem idade A rica miséria d’alma pobre   Não ficou nem o sujo do boi O amor que …

0 121

OUÇA: LEIA: Para acreditar no diabo é preciso acreditar em deus. Me disseram que me exponho demais. Mas não sou eu. E quando sou, já fui, não sou mais. Metamorfose ambulante. Nasci no mesmo dia do Raul, trinta anos depois e me sinto um tanto que capturado por uma ideia maluca e, beleza, tudo certo. …

0 124