Brasileiros recorrem à pesquisa genealógica para conseguir passaporte europeu 


Não saber ao certo as informações de nascimento de seus antepassados italianos e portugueses tem feito com que muitos brasileiros recorram ao serviço de pesquisa genealógica para tentar a cidadania europeia, no caso específico, a italiana e portuguesa, que dá acesso a diversos benefícios no exterior. “Temos um banco de dados bem completo, com mais de 600 mil imigrantes italianos cadastrados online em nosso site.

Trabalhamos para atualizar esta lista constantemente há mais de 30 anos. Caso o antepassado não esteja listado ali, oferecemos o serviço de pesquisa genealógica para encontrar as informações necessárias e localizar a certidão de nascimento do italiano ou português, para enfim começar o processo de cidadania”, explica Patricia Mora, fundadora do Ser Italiano, empresa que há mais de 10 anos oferece serviços relacionados ao processo de reconhecimento da Cidadania Italiana e Portuguesa. A empresa é uma das pioneiras em processos judiciais na Itália, com 100% de causas ganhas. Com sede na Itália, o Ser Italiano tem filial em Sorocaba (SP).

A informação sobre o antepassado italiano ou português é o primeiro passo para se obter o passaporte europeu. “Quando a pessoa, que busca a sua cidadania, possui uma cópia antiga da certidão de nascimento, casamento ou batismo do antepassado ou, pelo menos, possui os dados completos, basta solicitar a busca física do documento. Se não tiver, nesse caso se trata de uma Pesquisa Genealógica, serviço que também oferecemos aos nossos clientes”, explica Patricia. As pesquisas e buscas são realizadas por todas as regiões da Itália e Portugal por um especialista em genealogia do Ser Italiano, que já tornou possível o sonho de obter a cidadania para centenas de clientes.

Em mais de uma década oferecendo este serviço, o genealogista do Ser Italiano, Stefano Tosin, italiano e grande conhecedor da história da imigração italiana, diz que apareceram alguns casos interessantes nas pesquisas. “Temos muitos casos interessantes de pessoas que, inclusive, chegam até nós sem nenhuma informação quase, e nós conseguimos localizar o documento”. O mais importante para começar este trabalho é ter os dados do antepassado italiano/português. Quanto mais informações tivermos, mais simples e rápido pode se tornar o trabalho.

“Qualquer informação pode se útil: fotos, cartões postais antigos, livros de família, documento, relatos familiares…”, afirma Stefano. “Nosso trabalho é muito minucioso e de grande responsabilidade. Mexemos com documentos e certidões originais, qualquer erro pode comprometer o processo de cidadania. Mais que buscar a Cidadania por meio da pesquisa, lidamos com sonhos. As pessoas desejam resgatar suas raízes e sua história. É um trabalho apaixonante”, finaliza Stefano.

Imgem: Reprodução