COLETIVO CURITIBANO SELVÁTICA AÇÕES ARTÍSTICAS ESTRÉIA “MIL BESOS” NA CASA HOFFMANN

Cenicas;Selvática

Projeto solo de residências e criações compartilhadas de Gabriel Machado busca no exagero e no corpo em transbordamento falar sobre diferentes modos de existir

 

Como se dança um exagero? essa tem sido a pergunta motriz do projeto MIL BESOS, solo do artista selvático Gabriel Machado que estreia na Casa Hoffmann – Centro de Estudo do Movimento, no próximo sábado dia 3 de novembro. A proposta que teve ínicio em Madrid, no ano de 2016, através do Programa Iberescena de Criação Coreográfica em Residência e posteriormente realizou outras 2 residências, uma em Santiago – CL e outra na própria Casa Selvática, atualmente está em residência na Casa Hoffmann, através das atividades do edital da MOSTRA SOLAR 2018, iniciativa da Fundação Cultural de Curitiba através da lei de incentivo a cultura.

Segundo o artista é um projeto aberto desenvolvido através do intercâmbios com os mais diversos artistas e comunidade, em ações como oficinas de dança, escrita e laboratórios de criação compartilhada. Partindo de um material autobiográfico e também de estudos do corpo ciborgue o projeto aborda as relações cibernéticas e a infiltração de tecnologias e recursos midiáticos no corpo humano. “Venho investigando as diversas sexualidades, as transformações do corpo enquanto objeto virtual, a cibernética e próteses na tentativa de conjugar o low tech e o rightech em busca do grotesco, do robótico, do inumano, do monstruoso, do superhumano.” comenta Gabriel Machado.

Nesta nova etapa da pesquisa o projeto contou com a presença de Ricardo Marinelli, que faz a interlocução coreográfica, da atriz, diretora e dramaturga soteropolitana Paula Lice, além dos artistas selváticos Ricardo Nolasco, Semy Monastier, Cali Ossani e Jo Mistinguett. No início deste mês o projeto também realizou uma oficina e uma apresentação/mostra de processo na Regional Cajuru, através do Circuito Dança nos Bairros.

Para Gabriel, outro ponto importante é o retorno a Casa Hoffmann, espaço de referência na dança contemporânea brasileira, e que este ano está retomando as atividades de incentivo a pesquisa e formação para artistas da dança na cidade. “Boa parte da minha formação enquanto artista se deu neste espaço e fico muito feliz em compor a programação da Mostra e também de acompanhar esta nova etapa da Casa. É muito importante que tenhamos espaço para o encontro, para expandir a pesquisa além dos espaços de apresentação de uma obra, mas também de redes de continuidade de pesquisa e desenvolvimento de linguagens diversificadas.” finaliza o artista.

 

 

Serviço:

3 e 10 de novembro às 21h
Mostra Solar 2018
Casa Hoffmann – Centro de Estudo do Movimento
Rua Claudino Dos Santos 58 São Francisco – Curitiba
Entrada Franca

 

Ficha Técnica:

Conceito, criação/atuação e pesquisa: Gabriel Machado
Interlocução coreográfica: Princesa Ricardo Marinelli
Interlocução dramatúrgica/cênica: Paula Lice
interlocução/produção: Ricardo Nolasco
Iluminação/design de luz: Semy Monastier
Design sonoro/trilha original: Jo Mistinguett
Figurino: Cali Ossani
Imagens: Amira Massabki
Residências e mostras de processo: Espacio Labruc (Madrid – ES), Nave – Centro de Creación y Residencia (Santiago – CL), Transborda Mostra de Performance (Curitiba – BR) Reinvenção do Cabaré – Casa Selvática (Curitiba – BR) e Casa Hoffmann (Curitiba – BR).

Realização: Selvática Ações Artísticas

PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA
* Este projeto contou com o apoio a processos de Criação Coreográfica em Residência do Iberescena – Fundo de Ajuda às Artes Cênicas Iberoamericanas 2016.

 

Sobre a Selvática:
A Selvática Ações Artísticas é um coletivo de 18 artistas vindos de diversas linguagens interessados em criação e pesquisa colaborativa. Seus trabalhos já foram apresentados em diversas cidades do Brasil, bem como da América Latina e Europa. Através da Casa Selvática, inaugurada em 2012, desenvolve um trabalho calcado em intercâmbios e residências compartilhadas. Entre as principais linhas de força que movimentam o coletivo estão processos criativos afetados por questões pertinentes as comunidades LGBTQIA+, a produção de dramaturgia autoral e a revisitação do conceito de cabaré. O grupo também investiga e pesquisa novos formatos para a produção de conhecimento, a produção de uma arte contemporânea que esteja comprometida com a realidade brasileira e latino-americana, além da construção de um espaço para a experimentação identitária, para a permeabilidade entre as linguagens artísticas, o hibridismo, a processualidade e a descentralização. Acesse: https://www.selvatica.art.br/

Gabriel Machado é artista da dança, performer, coreógrafo, curador, gestor cultural e diretor teatral formado pela Faculdade de Artes do Paraná. Investiga as transformações do corpo enquanto objeto virtual, a cibernética, próteses, tecnologia, precariedade e monstruosidade, bem como as marcas dos processos de colonização em uma corporeidade latino-americana. Foi bolsista/residente da Casa Hoffmann (2010-2012). É artista colaborador e co-orientador do núcleo de pesquisa em dança IMP – Investigação do Movimento Particular. Integra o coletivo de artistas da Casa Selvática desde sua fundação. Entre 2008 e 2013 desenvolveu o projeto solo Clarissa, que gerou os espetáculos “Calma, no verão que vem nós vamos à praia” (2008) “Pedaços de carne não solúveis em água” (2011), “Li’l Miss Sticky Kiss” (2012) e “Coágulo” (2013). Já participou de diversas residências e turnês pelo Brasil, América Latina e Europa.

Anterior Dica da Ema - Nueve Reinas
Próximo ESCRITOR CARLOS MACHADO LANÇA O LIVRO "ESQUINA DA MINHA RUA" NO DIA 09, EM CURITIBA

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *