COM UM A MAIS CORITIBA É SURPREENDIDO EM CASA APÓS LEVAR EMPATE NOS MINUTOS FINAIS DA PARTIDA CONTRA OPERÁRIO

Coritiba; Operário; Campeonato Paranaense 2020; Pré-temporada; Empate; Couto Pereira

Rafinha lamenta lance no Couto. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná.

COM EDUARDO BERNARDES.

Coritiba e Operário entraram em campo sob a prenuncia de um tempo ruim. Antes da bola rolar, chovia nos arredores do Couto Pereira. No entanto, foi somente na condição climática que o termo “ruim” poderia ser aplicado e, detalhe, isto até ao apito inicial.

O bom público de torcedores coxas-brancas que compareceram ao Couto Pereira, tomou um susto logo no primeiro minuto de jogo. Um recuo da zaga coxa-branca para o goleiro Wilson, após subida da marcação do time de Ponta Grossa, mal dominado pelo arqueiro coxa-branca que tentou sair jogando, quase permitiu o primeiro gol do time de Vilas Oficinas, a bola foi tirada a tempo pelo próprio Wilson.

O time visitante procurou subir a marcação no primeiro terço da partida. Aos 09’, o atacante Hector Bustamante finalizou em direção ao gol para uma defesa segura de Wilson. Mas, o Coxa conseguia sair da marcação com toques rápidos e explorava o lado direito do ataque com Rafinha. A primeira chegada com perigo do time alviverde, com 11’, o ponta-direito saiu livre até a linha de fundo, quando cruzou, sem perigo, direto nas mãos do goleiro André Luiz.

O lance, sem perigo, foi o que ditou o jogo alvi-verde no primeiro tempo, por que, além de Rafinha, o Coritiba contava com as flutuações de Igor Jesus pelo setor e as chegadas do lateral Lucas Ramon. No primeiro tempo, foram quatro chegadas com perigo do time mandante. Aos 19’, em um lance de bola parada, após falta do zagueiro Douglas Nascimento, que foi amarelado, Rafinha cruzou e após casquinha do estreante Renê Junior, a bola, por pouco, quase sobrou para Robson marcar; aos 25’, Rafinha fez uma leva de jogadores operarianos e levou a bola até a linha de fundo, quando cruzou e no rebate, a bola foi para escanteio; e aos 32’, Rafinha de novo, carregou até linha de fundo e levantou para Robson, mas, a zaga tirou.

Neste meio tempo, o Operário, acuado, explorava os contra-ataques, Douglas Coutinho e Hector Bustamante eram os nomes mais ativos do time adversário. O gol coxa-branca veio aos 43’ minutos. O time que, neste momento, já contava com um a mais no campo, após a expulsão do zagueiro Douglas Nascimento, teve um escanteio a seu favor. A bola foi lançada a grande área por Rafinha, e depois de um bate-rebate, cai nos pés de Robson, que chutou de primeira no canto esquerdo do gol. O 1×0 e a explosão da torcida coxa-branca vieram logo antes do apito de fim do primeiro tempo.

O segundo tempo iniciou com o time visitante decidindo jogar. O técnico Gerson Gusmão fez apenas a substituição, ainda no fim da primeira etapa, com a entrada do zagueiro Rafael Bonfim para corrigir o sistema defensivo. Foi o time visitante, franco e atirador, que criou as primeiras oportunidades. Logo aos 5’ com Tomás Bastos finalizou de fora da área para a linha de fundo. Foram ainda mais dois arremates sem perigo, mas, que mostraram uma postura diferente do time visitante.

O Coxa perdeu em oito minutos seus dois principais jogadores de ataque. Aos 10’, Rafinha deu lugar a Nathan, que veio a fazer o primeiro jogo do ano. Aos 14’, Igor Jesus chutou colocado, a bola, passou com perigo perto do canto esquerdo do goleiro André Luis. Este mesmo Igor que saiu aos 18’ e foi substituído pelo outro estreante da noite, o atacante Sassá.

Aos 23’, após da cruzamento vindo da direita, Tiago Lopes concluiu a jogada com um lance de efeito, e de letra, finalizou ao gol e aos 26’, o zagueiro Rodolfo cruzou para a cabeçada com perigo do atacante Robson. Depois destes lances, a intensidade da partida diminuiu, o que favoreceu o time visitante, uma vez que o Coxa, controlava a partida com toques curtos na defesa, sem criar lances de perigo. O que surpreendeu o time mandante, no fim do segundo tempo, aos 41’ o lateral-esquerdo Danilo, do Operário, que sofreu muito com as investidas da dupla Rafinha-Igor Jesus, arranjou um escanteio. No lance, o atacante Douglas Coutinho subiu mais que todo mundo para marcar o gol de empate. Ainda no fim, o time da casa tentou fazer uma última pressão, mas, sem efetividade.

Fim da partida.

O técnico Eduardo Barroca afirmou em entrevista coletiva que o Coritiba fez tempos distintos, chegou a considerar o seu melhor primeiro tempo no comando técnico do time alvi-verde e classificou o segundo tempo como um domínio estéreo. Um fator que tem acontecido com frequência no início de temporada coxa-branca é o excesso de jogadores lesionados, o comandante coxa-branca acredita nisto como algo normal, como infelicidades que fazem parte do jogo e não necessariamente a um aspecto de controle a excessos de treinos ou de preparação do time. Ainda, relembrou que este foi o momento que acabou a pré-temporada e que a partir de agora, o foco será na preparação efetiva para a temporada e voltada para a qualificação do sistema ofensivo da equipe.

 

FICHA TÉCNICA:

CORITIBA:

Wilson; Lucas Ramon, Rodolfo Filemon, Rhodolfo, Caetano (Willian Matheus); Matheus Sales, Renê Junior, Thiago Lopes; Robson, Rafinha (Nathan), Igor Jesus (Sassá).

CARTÕES:

Caetano, Rafinha (amarelo).

OPERÁRIO:

André Luis; Sávio, Douglas Nasciemento, Juan Sosa, Danilo; Jardel (Cleyton), Régis, Tomas Bastos (Aguada); Douglas Coutinho, Hector Bustamante (Bonfim), Jefinho.

CARTÕES:

Sávio, Juan Sosa, Jardel (amarelo); Douglas Nascimento (vermelho).

PÚBLICO TOTAL:

11.033

RENDA:

R$ 233.264,00