Dica da EMA – Velvet Buzzsaw

DicadaEma

OUÇA:

 

LEIA:

Depois do excepcional O Abutre, as expectativas para o novo filme escrito e dirigido por Dan Gilroy eram altas, ainda mais tendo novamente JakeGyllenhaal no papel principal. Velvet Buzzsaw foi exibido no festival de Sundance em janeiro de 2019 e lançado internacionalmente pela Netflix no mês seguinte. Dada a riqueza visual da obra, é uma pena que não esteja em cartaz nos cinemas.

O filme se passa na rarefeita atmosfera do jet set artístico dos Estados Unidos, onde uma profusão de críticos, artistas, agentes e consultores batalham por influência – e, sobretudo, pelos lucrativos negócios que ela traz. Nesse mundo, MorfVanderwalt é rei. Ou melhor, Morf escolhe quem é o rei. Sua pena é capaz de catapultar ou sepultar a carreira de artistas, renomados ou não. Insatisfeito com seu relacionamento, Morf se aproxima de Josephina, funcionária da poderosa RhodoraHaze. Josephina, extremamente ambiciosa, acredita ter encontrado a chance de sua vida quando um artista recluso morre no prédio em que ela mora, deixando centenas de obras-primas no apartamento. O finado deixou ordens para que todas as peças fossem destruídas. Josephina logo entenderá o porquê.

Velvet Buzzsaw despertou reações contraditórias na crítica especializada.Alguns destacaram as diversas peculiaridades da obra, alardeando o surgimento de um novo clássico cult. Outros consideraram a narrativa rasa e confusa, apesar da originalidade e boa direção. Os dois pontos de vista encontram respaldo, mas são vítimas de preconcepções. Primeiramente, este não é o primeiro filme em que os personagens têm nomes esquisitos, ou com cenas de horror beirando o camp. Peculiar, sim, mas dificilmente cult. Por outro lado, aqueles que criticaram a narrativa provavelmente esperavam algo mais reflexivo, nos moldes de O Abutre. Velvet Buzzsaw é um filme totalmente diferente, mais próximo da sátira do que do horror. Aliás, um destaque da obra é usar uma estética “filme B” para retratar um meio esnobe e blasé. Ainda sobre as cenas de horror, Gilroy abusa de matizes claras e cores saturadas, num bem-vindo contraste às convenções do gênero. Um filme para ser visto de cabeça leve, Velvet Buzzsaw é uma mistura personagens caricatos, diálogos absurdos e insights verdadeiros, arranjados num improvável equilíbrio por boas atuações, boa direção e excelente fotografia.