Espetáculo Clichê – a inatingível utopia quebrada de todas as coisas estreia no centro histórico

Cenicas;Cliche

Crédito: Luana Navarro
De forma independente, espetáculo realiza curta temporada com entrada gratuita na sede da companhia brasileira de teatro localizada no centro histórico

 

Na próxima sexta feira, dia 30 de novembro às 20h estreia o espetáculo Clichê – A Inatingível utopia quebrada de todas as coisas. O espetáculo permanece em temporada durante dois finais de semana, na sexta, sábado e domingo nos dias 30, 1, 2 e 7, 8 e 9 de dezembro sempre às 20h, na sede da Companhia Brasileira de Teatro ( R. José Bonifácio, 135 – sala 01 – Largo da Ordem), com entrada gratuita.

Na peça, três amigas se encontram para ler um livro e, para surpresa delas, todas as páginas estão em branco. Palavras começam a surgir e a história começa a ser escrita. Após o estrondoso sucesso de sua publicação, as três amigas se reencontram em um programa de auditório.

O processo de pesquisa/criação deste espetáculo parte da dificuldade de construir uma narrativa. Os artistas utilizam o deboche, a ironia para articular questões relacionadas a manipulação de informações, disputa de poder, a história da arte, um teste de inteligência, estratégias do mundo de origem, o poder da mente, representações e arquétipos.

Em cena narrativas como a de um videoclipe, uma palestra, um jogo de poker, um enigma, um sonho, um pacto e uma galeria de arte são articuladas para dar forma a história escrita no livro encontrado. O projeto é uma iniciativa independente e reúne o intercâmbio artístico de diferentes artistas da cidade. A escolha do espaço para a realização do espetáculo se deu por se tratar de uma sala de ensaio e não um teatro convencional e pela localização central.

 

Serviço:

CLICHÊ – a inatingível utopia quebrada de todas as coisas

sexta, sábado e domingo às 20h nos dias 30, 1, 2 e 7,8 e 9 de dezembro na companhia brasileira de teatro (R. José Bonifácio, 135 – sala 01 – Largo da Ordem)

entrada gratuita

 

FICHA TÉCNICA

concepção e Performance de Helen KaliskiJo Mistinguett e Victor Hugo.
Ambientação: Erica Mityko Takahashi.
Registro fotográfico e em vídeo: Lidia Sanae Ueta.
Interlocução Artística: Cacá Bordini, Cali OssaniDaniele Cristyne, Erica Takahashi, Gustavo Bitencourt, Luana Navarro (Blublu Bleble).
Foto do cartaz por Matheus Henrique

Apoio: Companhia Brasileira de Teatro

Anterior Hillbilly Rawhide lança “My Name is Rattlesnake” no Jokers nesta sexta
Próximo CULTURA REVISTA 29/11/2018 - COM A BAILARINA MARINA PRADO E O PALHAÇO ESTORNUDO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *