Fun Funk Station #04



O vibrafonista e arranjador americano Roy Ayers é mais um daqueles exemplos de músicos ligados ao jazz que contribuíram para o desenvolvimento do R&B, soul e funk. Especialmente nas origens da disco music. No programa você confere a sua Roy Ayers Ubiquity, com Brother Green (the disco King), do álbum Mistic Voyage, de 1975. Teremos também The Blackbyrds e a grande Mandrill, banda dos irmãos Wilson: Carlos Wilson (trombone, vocais), Lou Wilson (trompete, vocais), and Ric Wilson (sax, vocais). Eles cantam e formam um belo naipe de sopros. São panamenhos criados no Brooklyn. Na opinião do FFS uma das maiores bandas de todos os tempos.


Rick James, nascido em Bufallo, estado de Nova York, em 1948, era sobrinho de Melvin Franklyn, do grupo The Tempaptions. Na lida com a música desde os 15 anos de idade, James servia a Marinha americana, quando resolveu fugir para o Canadá. Lá ele monta uma banda em Toronto, The Mynah Birds. Curiosidade que este grupo tinha como integrantes ninguém menos que Neil Young e Bruce Palmer. De volta aos Estados Unidos foi preso e tudo o mais. Logo começou a trabalhar na Motown como compositor e produtor. Daí foi um salto para a produção de seus próprios discos. Quem não lembra? Quem não lembra, ouve aqui no Fun Funk. Confira a sonzeira de Rick James com Bustin Out, do álbum Bustin Out of L Seven, de 1979!


Um dos grandes baixistas de todos os tempos, Bootsy Collins integrou o Funkadelic, banda que é das favoritas aqui do Fun Funk Statiom, liderada por George Clinton, do qual já falamos em outras ocasiões. Em Cosmic Slop, com Funkadelic, Collins simplesmente faz a mesma levada durante uma música inteira, sem perder o pique, em uma verdadeira aula de suingue e groove, além de ser uma tremenda educação física. Destaque também para o solo de guitarra inspiradíssimo de Garry Shider, que é o autor da música, inclusive. Sensacional.


Se você nunca ouviu falar de Quincy Jones, uma coisa você pode ter certeza: algum disco produzido por ele, ou alguma trilha sonora de filme você já deve ter ouvido. Maestro e arranjador, o grande Quincy Jones começa sua carreira no início dos anos 1950, como trompetista de grandes bandas de jazz, especialmente a de Lionel Hampton. Grava e produz de tudo que se possa imaginar, e lança um verdadeiro turbilhão de álbuns, o que torna sua obra muito vasta. O cara tem mais de 60 anos de carreira ininterrupta. Seu trabalho mais conhecido entretanto é o álbum Thriller, de Michael Jackson, um dos discos mais vendidos da história da música. Um mestre, senhores. Confiram Quincy Jones, com Booggie Joe the Grinder, de 1974.


E tem Curtis Mayfield, The Brides of Funkenstein, Betty Davis e muito mais. Só sonzeira.


Bom programa. Esperamos todos lá. Black!


Bloco 1
1. Roy Ayers Ubiquity – Brother Green (the Disco King)
2. The BlackByrds – Do it Fluid
3. Mandrill – Fancewalk

Bloco 2
1. Rick James – Bustin Out
2. The Bar Kays – Shake Your Rump to the Funk
3. Rufus & Shaka Khan – Tell Me Something Good

Bloco 3
1. Funkadelic – Cosmic Slop
2. Betty Davis – FUNK
3. The Brides of Funkenstein – Disco to Go

Bloco 4
1. Quincy Jones – Boogie Joe the Grinder
2. Curtis Mayfield – If There a Hell Below Were All Going to Go

BG das locuções – União Black, Na Palma das Mão (2007).

 

bl 01

bl 02

bl 03

bl 04

Anterior "Exodus - De onde vim não existe mais" - a incrível história de seis exilados
Próximo CURITIBA DÁ DAMBA - COM JANINE MATHIAS - EXIBIDO EM 04/02/2018

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *