Grupo de MPB lança produção com 48 artistas em casa no evento cultural online da UFPR; confira programação


Em vídeo com mosaico de vozes e sons, Grupo de MPB interpretará música de compositor brasileiro que morreu por Covid-19. Imagem: Divulgação

Segunda edição do Movimento Conexão será dias 25 e 26 de junho e terá 14 atrações gratuitas com diferentes estilos musicais, aula de forró, batalha de poesias e webinários

É de Aldir Blanc a letra da canção que será interpretada por 48 artistas do Grupo de MPB da UFPR em suas casas. Em um vídeo com mosaico de vozes e sons, cantores e instrumentistas vão homenagear o compositor brasileiro que morreu por Covid-19 cujo nome virou lei que prevê auxílio emergencial à cultura durante a pandemia. A produção será lançada na segunda edição do evento cultural online Movimento Conexão, que será transmitido gratuitamente nos dias 25 e 26 de junho das 15h às 18h pelo Facebook da Agência Escola UFPR. Ao todo, serão 14 atrações com diferentes estilos musicais, aula de forró em clima de festa junina, sarau e batalha de poesias e webinários – confira a programação completa neste link.

A canção que será apresentada pelo Grupo de MPB da UFPR foi composta por Aldir Blanc na década de 1970 e celebrizada por Elis Regina. Regente do Grupo de MPB da UFPR, Vicente Ribeiro conta que a letra retrata questões sociais vividas pelo Brasil na época, mas que tem muita relação com o momento atual. “Parece que foi feita para o tempo que estamos vivendo”. O nome da música será surpresa ao público a critério do grupo.

Com novos elementos técnicos e artísticos, a apresentação SOS Brasil encerrará o Movimento Conexão às 17h30 do dia 26, sexta-feira – na primeira edição do evento o Grupo de MPB apresentou a performance “Dança do Ouro”. “Com essas produções virtuais, mostramos que continuamos fazendo arte, que a arte está viva. A arte se confunde com a própria vida e nos humaniza, nos torna pessoas melhores”, acrescenta Vicente ao se referir ao contexto de pandemia.

Coordenadora da Agência Escola UFPR e diretora do Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod), a professora Regiane Ribeiro destaca que a segunda edição do evento potencializa as diferentes linguagens artísticas, além de ampliar a participação dos campi avançados da UFPR. “A programação traz diversidade de atrações e linguagens de grande relevância dentro do contexto cultural da cidade e da universidade”.

O Movimento Conexão é uma realização da Agência Escola de Comunicação Pública UFPR em parceria com o Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod) e a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) da Universidade.

Pluralidade

Para a produtora cultural do Sacod, Patricia Salles o diferencial do Movimento Conexão é mostrar produções da UFPR com trabalhos e pesquisas de alunos, professores e técnico-administrativos e ao mesmo tempo dialogar com convidados de outros segmentos ou instituições. “A curadoria do evento é sempre pensada a partir de uma pluralidade tanto das linguagens artísticas quanto de público e formato de conteúdo”.

“Buscamos trazer propostas que fossem diferentes do que o público conferiu na edição passada e também atrações que fossem diferentes entre si em termos de estilo, temática e linguagens artísticas”, acrescenta Kleiton Costa, produtor cultural da Coordenadoria de Cultura da Proec. Para ele, o destaque é a própria diversidade do evento, que mistura música pop e clássica, poesia, debates e forró com atrações para todos os gostos.

Banda de médicos no combate à pandemia

Rogerio de Fraga, Marcos Sigwalt, Luiz Araújo, Alexandre Soares e Marcelo Wada são médicos formados na UFPR e atuam no combate à pandemia de Covid-19 seja linha de frente ou na gestão. Ao Movimento Conexão trarão arte para o público no dia 25, quinta-feira, às 17h30, com apresentação da banda de rock Uso Utópico que criaram em 2004. Recentemente o formando de Medicina Gabriel Schier de Fraga também passou a integrar a banda.

“É recompensador poder compartilhar algo lúdico neste momento tão reflexivo e doloroso para tantas pessoas. A música é uma das conexões humanas mais ancestrais que existe. É um exercício excelente para a saúde mental e social”, diz o médico Rogerio de Fraga, que também atua no Complexo Hospital de Clínicas da UFPR, e vocalista da banda Uso Utópico.

Banda com médicos formados na UFPR que atuam no combate à pandemia encerrará primeiro dia da programação. Foto: Divulgação

 

Orgulho LGBTI

No mês do orgulho LGBTI, o Movimento Conexão traz o webinário “Gênero e cultura pop: identidades LGBTI+ nas animações seriadas” no dia 26, sexta-feira, às 16h30. Mestrandos em Comunicação na UFPR, Leonardo José Costa e Romão Matheus Neto discutem as animações seriadas como materialidade para se pensar questões de gênero na cultura pop.

Ainda na sexta-feira, dia 26, às 15h30, Jeruza Miller, drag queen pianista com carreira internacional, apresenta o projeto PianoDrag unindo piano e canto em repertório clássico, jazzístico e popular. “O mês do orgulho LGBTI é uma visibilidade para a comunidade. Artistas que defendem e contribuem para a diversidade também devem ter a oportunidade de apresentar o seu trabalho. Nesse momento de pandemia é importante que essas plataformas virtuais aconteçam”, diz.

 

Por Chirlei Kohls
Parceria Superintendência de Comunicação e Marketing (Sucom) e Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR