INVENCÍVEL: CORITIBA CONQUISTA VITÓRIA MAIÚSCULA NA PRIMEIRA PARTIDA DOS CONSIDERADOS TITULARES DA EQUIPE

CORITIBA; UNIÃO BELTRÃO; GOLEADA; CAMPEONATO PARANAENSE 2020; SEXTA RODADA; COUTO PEREIRA;

Foto: divulgação/Coritiba.

O jogo contra o União mostrou um primeiro tempo marcado pelo domínio coxa-branca em 2/3 dos 45’ iniciais. O gol logo no inicio do jogo deu indícios de que seria um massacre do mandante, afinal, veio em um momento de pressão do Coxa. Logo aos 04’, no segundo de dois escanteios consecutivos, Rafinha cruzou a bola que foi desviada pelo goleiro Marcos Paulo e depois de um bate rebate na grande área do União, Ruy, livre, chutou no canto esquerdo do gol.

Ruy: dois jogos, três gols.

É importante citar que o União deu trabalho. Os primeiros 15’ foram marcados por muitos erros de passes de ambas as equipes. O Coxa sofria com uma tentativa de marcação alta do seu adversário, e por sua vez, o União esbarrava na sua qualidade técnica. E assim que o Coxa marcou, o time mandande resolveu diminuir o ritmo de suas ações na partida, o que permitiu ao time visitante entrar em ação.

Começou com uma cobrança de falta rápida no sistema defensivo aos 08′. A bola lançada para a ponta esquerda, permitiu ao União Beltrão trabalhar a jogada, no fim, o atacante Sato finalizou forte, dentro da área, para ótima defesa de Muralha. Logo em seguida, no escanteio, Jabá cruzou e Casimiro concluiu de cabeça para fora.

Aos 12’, uma retomada de bola no sistema ofensivo do União permitiu ao atacante Sato, mais uma vez, finalizar rasteiro, sem perigo, de fora da área pra linha de fundo. E aos 14’, após um contra-ataque rápido, que partiu de uma inversão de bola da esquerda para direita, permitiu ao ponta Luan carregar e chutar forte para mais uma defesa de Muralha.

O goleiro Muralha já havia feito três ótimas defesas dentro da partida, no entanto, em mais uma jogada trabalhada do União, após uma sequência de erros do Coxa, Luan fez levantada/cruzamento para Sato que dominou a bola e de bicicleta mandou no canto direito.

Golaço no Couto!

E o último lance de perigo do time visitante.

A partir daí, só deu Coxa.

O gol acordou o time da casa, que a partir de então, passou a aplicar seu jogo e usou a intensidade de seus jogadores para levar perigo a meta adversária.

Em campo, Rafinha liderava a equipe no ataque. Foram muitas jogadas criadas de diferentes formas possíveis. Por dentro, pela direita e pela esquerda, o Coritiba envolvia seu adversário, mas também, contava com a série de erros individuais do União, que mesmo diante de um mandante pilhado pelo seu gol, tentava sair jogando.

O Coxa esteve na pressão o tempo todo.

A troca de posições entre a trinca Rafinha, Robson e Ruy, confundia o sistema defensivo do adversário. Acrescente a isto, as infiltrações e os passes em profundidade do volante Renê Júnior. Juntos, eles criaram diversas oportunidades para o centro-avante Sassá, que viria a desencantar, em casa, na sua segunda partida no Couto Pereira.

O Coritiba chegava com extrema facilidade ao ataque. Era praticamente um lance perigoso por minuto. A imposição do jogo alvi-verde escancarava a diferença entre as duas equipes. A superioridade foi tamanha, que vou tomar a liberdade de mudar o estilo da narrativa deste texto, para que você, amigo leitor, entenda:

  • A resposta, após o gol do União, veio aos 21’. Rafinha fez jogada individual e cruzou para Robson livre, ele arrematou para boa defesa do goleiro.
  • No lance seguinte, a defesa do União sai jogando mal, o Coritiba recuperou a bola em saída rápida e arranjou um escanteio. Rafinha, na segunda oportunidade, achou Rhodolfo livre e de casquinha tocou para Sassá que chutou sobre o gol.
  • Dois minutos depois do último lance, não alcançou a bola após cruzamento do estreante Patrick Vieira.
  • Aos 30’, mais uma jogada individual de Rafinha, que pela direita, faz fila nos seus adversários e toca para Ruy finalizar para o gol e no escanteio, Renê Junior desvia a bola para Sassá finalizar ao gol, a bola foi sem força nas mãos do goleiro.
  • Aos 32’, em mais uma retomada de bola no campo de ataque, Rafinha acha o estreante Patrick Vieira que chuta sem nenhum perigo para o gol.
  • Aos 36’, uma bela jogada entre Renê Junior, Ruy e Sassá, o volante Renê Júnior finalizou boa defesa do goleiro Marcos Paulo, e no rebote, novo cruzamento de Ruy para Renê Junior, que cabeceou para mais uma ótima defesa de Marcos Paulo.
  • Aos 40’, o Coritiba recuperava o tempo todo, as chamadas “segunda bolas” forçando muitos ataques. Em mais um erro de saída de bola do União, Rafinha recupera e arma um contra-ataque de 3×2 ,ele acha Ruy entrando livre à sua direita, que finaliza fraco (com desvio). No escanteio, Rhodolfo livre desvia fraco sobre o gol.
  • Aos 43’, Rene Junior acha Rafinha, na ponta direita, ele faz uma triangulação com Ruy e cruza para mais uma finalização de Sassá.

É importante destacar o aspecto mental dos atletas alvi-verdes. Observe a quantidade de oportunidades que foram criadas ao longo do primeiro tempo. Em muitos casos, é comum observar times que diante de uma situação como esta, cometem, em determinado momento do jogo, erros que comprometem toda a estratégia da equipe.

Não foi o caso desta vez, já que o União não tinha e nem demonstrava forças suficientes para sair do sufoco alvi-verde.

Já diz o ditado: água mole, pedra dura…

Assim, veio o prêmio pela insistência, no fim da primeira etapa.

Aos 47’, Renê Junior acha Rafinha e faz o lançamento em profundidade, o atacante partiu de frente pra meta adversária, e em uma jogada individual e finaliza forte no canto direito de Marco Paulo.

Belo gol.

O fim de primeiro tempo teve uma torcida incendiada nas arquibancadas cantando o nome do ídolo alvi-verde e autor do segundo gol.

O complemento da partida começou com a mesma nota do primeiro tempo: Coxa no ataque; União na defesa.

No entanto, o Coritiba baixou o ritmo de suas investidas no campo ofensivo. Só que, mesmo assim, foi o suficiente para criar oportunidades. O aspecto mental que foi dito como ponto positivo ao time coxa-branca, foi um ponto negativo ao time do sudoeste paranaense, visto que, tomou dois gols em dois minutos.

O terceiro gol veio aos 08’/2º. Por dentro, Ruy achou Renê Junior entrando com livre na grande área, o volante passou pelo seu adversário e rolou para Sassá, que depois de várias tentativas, não teve ninguém para impedi-lo de fuzilar as redes. E o quarto, numa retomada da posse, após erro do União, permitiu um contra-ataque em superioridade numérica (4×3), a bola caiu no pé de Sassá que finalizou, forte, de fora da área para defesa de Marcos Paulo, o rebote caiu no pé de Rafinha, que numa acrobacia, uma espécie de voleio, finalizou para o gol.

Foram criadas mais chances no segundo tempo, mas, no fim, aos 28’/2º, o volante Matheus Sales lançou Robson na entrada da grande área, ele fez o cruzamento, e após mais uma falha da defesa, a bola sobrou para Sassá finalizar forte, 5×1.

O sexto, e último gol, veio após uma jogada rápida. Passes de pé em pé, envolvimento total no adversário. Galdezani entrou na grande área e tocou para trás. A bola, mais uma vez, foi mal tirada e caiu nos pés de Welissol que finalizou para boa defesa do goleiro adversário, no rebote, Thiago Lopes domina no peito e finaliza. 6×1.

O jogo acabou aos 45’/2º.

Sem acréscimos.

O Técnico Eduardo Barroca afirmou em entrevista coletiva que o time teve uma boa atuação. Ressaltou a agressividade, a marcação pressão e o alto nível de oportunidades criadas durante a partida. No entanto, mesmo com o bom resultado de hoje, afirmou que há muito a ser feito e na sua avaliação, o time ainda está longe do ideal. Por fim, deu todo o mérito aos jogadores pela vitória em questão. Ele separou a questão da vitória para a empolgação diante do pré-jogo de quarta-feira, pois ressaltou a característica do jogo que é diferente, afinal, trata-se de uma eliminatória em que um vacilo é suficiente para acabar com todo o planejamento do clube para o restante do ano.

Com a vitória, o Verdão chegou a 19 jogos de invencibilidade. A última derrota foi o 2 a 0 para o Paraná Clube, em 5 de outubro, pela 26ª rodada da Série B de 2019. De lá para cá, são 12 vitórias e sete empates em 19 partidas.

O Coritiba viajará amanhã para o estado do Amazonas, onde enfrentará o Manaus, na capital do estado do Norte do Brasil.

O jogo é válido pela primeira fase da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA:

CORITIBA:

Alex Muralha; Patrick Vieira, Rhodolfo, Sabino, Kazu; Matheus Sales, Renê Júnior (Matheus Galdezani), Ruy (Thiago Lopes)Rafinha (Wellissol), Robson, Sassá.

CARTÕES:

Renê Júnior (amarelo).

GOLS:

Ruy (04’/1º), Rafinha (47’/1º e 10’/2º), Sassá (08’/2º e 28’/2º) e Thiago Lopes (34’/2º).

UNIÃO:

Marcos Paulo; Casemiro, Sendeski (Douglas Gurgel), Vitor Carvalho, Cleiton; Sorbara, Rafael Paulista, Léo Bartholo (Thiago); Jabá (Hugo Rodrigues), Luan, Sato.

CARTÕES:

Thiago (amarelo).

GOLS:

Sato (18’/1º).

PÚBLICO TOTAL:

10.676

RENDA:

R$ 233.264,00