Oficina gratuita MBORAI – CANTOS e REZOS MBYA GUARANI com Juliana Kerexu Mirim e Gustavo Godoy


Estão abertas as inscrições para a oficina gratuita MBORAI – CANTOS E REZOS MBYA GUARANI, com a cacique Juliana Kerexu Mirim e o antropólogo Gustavo Godoy. A oficina integra o Projeto Guiança, que busca aproximar os conhecimentos e discursos presentes nas histórias, ancestralidade, memórias, além do compartilhamento de experiências das mulheres que possuem uma relação direta com as culturas populares e dos povos tradicionais do Paraná.

Para participar da oficina que acontece no próximo sábado (15/5) a partir das 19h, basta acessar o link: linktr.ee/Cantarim_cultural.

Dentro das próximas semanas serão lançados também dois documentários que abrem essa pesquisa e registro do protagonismo feminino na preservação e manutenção das culturas populares e tradicionais. O filme retrata a formação, a cosmovisão, o cotidiano e os fazeres da cacique mbya guarani Juliana Kerexu e da mestra e baronesa do fandango, Cremildes Ferreira Bahr, a “Mide”.

Nesta oficina de contrapartida do projeto, a cacique Juliana Kerexu e o antropólogo Gustavo Godoy apresentarão através dos cantos “a alma das crianças” (kyrĩgue nhe’ẽ) e “na vinda de Nhamandu/Sol” (Nhamandu oua re) alguns tópicos do pensamento mbya guarani.

Por meio dos “cantos” ou “rezos” que se diz em mbya: mborai, cantado nas casas de reza (opy’i), será apresentada a sua concepção de mundo e suas relações com as divindades.

Entre os assuntos abordados estão a apresentação da letra traduzida e interpretação de dois mborai (canto/rezo mbya); A explicação da origem e função dos cantos/rezos; A importância da atenção e recepção das crianças; e a importância do Deus Sol Nhamandu, filho primeiro do iniciador da criação do mundo – Nosso Pai Primeiro (Nhanderu Tenonde).

Oficineiros:

Juliana Kerexu – É cacique da Tekoa Mbya Guarani Takuaty na Terra indígena ilha da Cotinga, em Paranaguá – PR. Atua de forma ativa para garantir a manutenção e o fortalecimento das culturas regionais e tradicionais, os saberes locais, e a conservação socioambiental.
Gustavo Godoy- Antropólogo com pesquisa voltada para línguas indígenas. Pesquisou a língua de sinais ka’apor, no Maranhão, e a língua guató, no Mato Grosso do Sul.

Serviço:
Oficina Gratuita
Data e Horário: 15 de maio de 2021, das 19h às 21h
Inscrições: linktr.ee/Cantarim_cultural
Fotos de divulgação: Carol Castanho