Peça virtual “Revoluções Tropicalistas: uma experimentação cênica”


No final dos anos 60, o movimento Tropicália rompeu barreiras sociais e comportamentais provocando mudanças radicais na cultura brasileira. E, para reviver a importância desse movimento, um grupo de artistas de vários países se uniram e criaram o espetáculo online “Revoluções Tropicalistas: uma experimentação cênica”. A peça, liderada pela companhia Teatro Lusotaque, que reside na cidade de Colônia, na Alemanha, pode ser conferida entre 9 e 30 de janeiro, com sessões aos sábados, sempre às 15h. Os ingressos podem ser reservados pelo site https://linklist.bio/revolucoes_tropicalistas.

Com direção de Alexandra Marinho, o espetáculo faz uma releitura de várias cenas icônicas que aconteceram durante a Tropicália, como o discurso de Caetano Veloso no Festival da Canção em 1968, quando ele foi vaiado depois de cantar “É Proibido Proibir”, e homenageia o filme “Terra em Transe” (1967), dirigido pelo cineasta Glauber Rocha, o famoso “Manifesto Antropófago”, de Oswald de Andrade, entre outras figuras como o ator e diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa, as atrizes Leila Diniz e Maria Alice Vergueiro, o compositor Jorge Mautner e as cantoras Rita Lee, Maria Bethânia e Nara Leão. Além de colocar em foco lutas dos tropicalistas que ainda hoje necessitam ser debatidas, como desigualdade social, influências culturais internacionais, censura, feminismo e questões LGBTQIA+.