Universo Waltel Branco – Podcast e festa em homenagem ao mestre neste sábado (26)

waltelbranco;gilda

Um dos maiores músicos brasileiros nos deixou recentemente:

“Waltel Branco, maestro, arranjador e instrumentista (Paranaguá, 22/11/1929-28/11/2018) compositor erudito e popular, ajudou a criar as estéticas da MPB, Bossa Nova, Jazz-Samba e Jazz-Fusion desde os anos 50. Lançou mais de 20 discos, cultuados pelas experimentações e virtuosismo, sendo o álbum Meu Balanço um dos discos com cotação mais alta do mundo em bancas de colecionadores segundo sites como Discogs. Foi arranjador, compositor e diretor musical das trilhas de novelas e vinhetas da rede Globo por quase três décadas, dentre elas, Irmãos Coragem, Escrava Isaura, O Bem Amado, Selva de Pedra e aberturas de Jornal Nacional, Os Trapalhões, Sitio do Pica Pau Amarelo, alem de festivais e especiais musicais da emissora, tendo ajudado a criar a imagem da musica brasileira que correu o mundo em mais de 100 países através de novelas e filmes.” (Fonte: Manoel J de Souza Neto, prêmio MUSIMAGEM 2017 – http://www.cultura.mg.gov.br/…/4456-ccbb-recebe-a-terceira-…)

Rumo ao encerramento da 36° Oficina de Música de Curitiba, o Gilda Bar e Restaurante, recebe uma festa no circuito Off-Oficina, em homenagem ao revolucionário Maestro Waltel Branco.

O repertório inédito, é fruto dos estudos realizados no grupo de pesquisas da obra do maestro Waltel Branco, que pretende apresentar as muitas faces desse revolucionário artista.

Um podcast foi especialmente produzido pelo grupo de estudos, com apoio do Musin, Museu do Som Independente para a rádio Cultura 930, e poderá ser acessado no dia da festa no site www.cultura930.com.br

Na festa, será apresentado além de suas músicas, também as parcerias, passando por Tim Maia, Tony Tornado, Banda Black Rio, Baden Powel, Sérgio Mendes, Wilson Simonal, Roberto Menescal, Os Cobras, João Gilberto, João Donato, Turma do Bom Balanço, Dom Romão, Dom Um, Guerra Peixe, Meireles e os Copa 5, Flora Purim, Românticos de Cuba, Marcos Valle, Agepê, Odair José até Cazuza, entre outros, bem como obras de parceiros relacionados de Dizzy Gillespie, Mongo Santa Maria, Perez Prado, Chico Hamilton, Quincy Jones até Henry Mancini, entre outros que beberam da mesma fonte, seja na música brasileira ou na mundial.

O repertório localizado pelo grupo de estudos, constam músicas que fizeram a cabeça de gerações, nas rádios, novelas, clubs, cassinos, e pistas de dança dos anos 50 até a atualidade, com big bands executando de latin jazz, bossa nova, MPB, bossa jazz, acid jazz, fusion, garage rock, jazz rock, funks, samba, flamenco, música brega, até trilhas incidentais de filmes e novelas.

Sons para ferver, e mostrar que o maestro era cabeça aberta, cheio de swuingue e sempre valorizou seus sangue negro, batuques ancestrais e ritmos populares, sem perder a conexão com os as novas sonoridades e as técnicas eruditas.

Sábado dia 26 de janeiro, de 2019.
Das 18h até 0h.
Local: Gilda Bar e Restaurante
Rua Cândido Lopes, 323. (entre a Praça Osório e a Galeria Tijucas).
Discotecagem Grupo de Estudos Waltel Branco.
Entrada 10 reais. (Entrada livre das 18h às 19h59).

Apoio:

Programa especial na Rádio Cultura am 930 em podcast no site: https://www.cultura930.com.br/

Festa (off) de pré encerramento da Oficina de Música de Curitiba.

Material de pesquisa fornecido pelo Musin – Museu do Som Independente.

Parceiros:

Apoio: Gilda Bar e Restaurante e Robert Amorim
Foto: Gilson Camargo
Arte: Branco
Produção de podcast, pesquisa e discotecagem, Thiago TP, Manoel Neto e Francisco Okabe.

Anterior IMS: Cultura e natureza vistas por ChichicoAlkmim, Carl F. P. Von Martius e Haruo Ohara
Próximo Dica da EMA – Creepy

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *