Vigésima edição do maior festival psychobilly do Brasil acontece nos dias 1, 2, 3 e 4 de março, em Curitiba

Psycocarnival;ZombieWalk

PSYCHOCARNIVAL 2019

Roupas coloridas, samba, confetes e serpentinas parecem atrativos? Se sua resposta for negativa não desanime, tem solução. O Brasil é o país do carnaval e aqui tem opção para todos os gostos. Um roqueiro de verdade que não abre mão de um bom barulho já tem agendada a data carnavalesca e não perde o Psychocarnival, evento consagrado que acontece na capital paranaense. E esse ano, em sua 20a edição, surpreende mais uma vez com o melhor do “psychobilly”. Mas você sabe que tipo de som é esse?

O QUE É PSYCHOBILLY

Não há dúvida: a cena influencia a música e a música influencia a cena e ambas têm um impacto significativo sobre sua cultura. Essa cultura mistura o gênero e o contexto da época, com variações de som e estilo. No entanto, às vezes essas cenas são apenas momentos no tempo. Outras vezes, elas são o início de gêneros inteiramente novos que se espalham pelo mundo. Isso aconteceu com o psychobilly, um estilo que surgiu totalmente novo na música, contaminou toda a Europa, e posteriormente o mundo, consolidando-se como um dos gêneros musicais mais originais. O psychobilly mistura num mesmo caldeirão (vodu) o punk, o rockabilly, a surf music, o rock garagem, e claro, generosas doses de glam rock espalhafatoso, originando um som único, dançante e agressivo. Para contextualizar esse cenário, vale lembrar que lá nos anos 80, o Reino Unido vivia assolado pelo horror das políticas de Margaret Thatcher, que trouxeram consigo um drástico aumento de desemprego e toda sorte de incertezas para o futuro, especialmente entre os jovens; o racismo também tomou rumos preocupantes e Londres era incrivelmente tensa. Os fãs de psychobilly (conhecidos como psychos/saicos) não queriam nada disso, e optaram por uma ruptura com o estresse criado pelo mundo político ao estabelecer uma regra de que a música deveria ser apolítica. Assim, a música psychobilly se tornou um método de escapar do mundo real. Junto com todo esse movimento ainda vale citar o renascimento dos filmes B, particularmente o retorno de filmes de terror, ficção e aventuras de qualidade duvidosa. Não por acaso, inúmeras canções carregam em seus títulos e letras infinitas homenagens/referências a essa escola do cinema. Desde sempre as bandas de Psychobilly tendem a partilhar características comuns, pois geralmente são formadas por uma bateria, uma guitarra e um baixo acústico. Fãs e músicos do estilo tem um visual muito característico, com topetes, tatuagens, cabelos pintados e vestes fortemente influenciados pelo rockabilly e pelo punk rock. Entre as bandas que iniciaram o estilo e são de grande importância nesse primeira fase encontramos nomes como King Kurt, The Sharks, Batmobile, Coffin Nails, The Quakes, Guana Batz e tantos outros grandes mais, mas no topo do topo dessa história, um nome se sobressai: The Meteors. Os monstros degenerados que começaram tudo vêm de Londres, e tornaram o movimento grandioso em toda a Europa, desde o decorrer dos anos 80 até os dias de hoje. A banda The Meteors é conhecida por disseminar a forma mais pura e primitiva do imaginário psychobilly. Como resultado, os fãs cunharam a carinhosa expressão “Only The Meteors are Pure Psychonilly”, muitas vezes abreviado para ‘OTMAPP’, que em bom português é “só os Meteors são Puro Psychobilly”. Será? Conheça o som e tire suas conclusões.

O FESTIVAL QUE ATINGE SUA MAIORIDADE

O carnaval no Brasil é caracterizado pelo samba e muita alegria e festa, além disso, pela sua popularidade, se tornou feriado nacional. Mais muitos fogem dessas cores, brilhos e ritmos alegres, preferindo seguir nos princípios do bom e velho rock`n`roll. Como uma fuga cultural, e aproveitando os dias de folga desses foliões um tanto diferentes, surgiu o festival mais badalado do Brasil para todos os apaixonados pelo psychobilly e pelo rock em si, que chega nesse ano a sua vigésima edição. O psychocarnival reúne música com uma galera pra lá de exótica. Quem passar por lá nos quatro dias pode conferir esse momento e, com certeza, ficar com um gostinho de quero mais (afinal 4 dias são poucos para curtir todas as bandas, amigos e a cultura que envolve esse movimento).
Epicentro do estilo na America Latina, e claro, o local do Brasil onde o “movimento” tem sua maior expressividade, a cidade brasileira de Curitiba firma-se ante o mundo psychobilly. Um pouco dessa história pode ser apreciada (entre tantas outras grandes estórias) no livro “Terapia com Sequela – Rock Maldito, o Psychobilly Visto por Dentro”, do escritor Márcio Tadeu Gouveia, que não por acaso, é a voz d’Os Cervejas. O livro mostra como surgiu em Curitiba a cena mais sólida do psychobilly nacional – e certamente, a mais importante da América Latina. Foi nesse ínterim que há 20 anos surgiu em Curitiba o maior festival do estilo de todo Hemisfério Sul, o Psychocarnival.

COMO, QUANDO E ONDE?

Entre os dias 1, 2, 3 e 4 de março de 2019, o chão curitibano tremerá com este festival que, desde 2000, agita a cena cultural da cidade. Nesta edição, o psychocarnival trará bandas da cena e outras participações que influenciaram e influenciam o estilo, os músicos e o público. Os shows aconteceram no Jokers Pub Café e sempre reúne um grande público, sedento de boa música. Além das bandas rola um bazar com discos, camisetas, roupas e acessórios, almoço de confraternização e uma gama de eventos paralelos que acontecem durante o dia em diversos locais da cidade (com bandas de surf music, rock folk e punk rock, vertentes do mesmo estilo musical). A tradicional ZombieWalk, que completa sua décima edição e atrai mais de 20 mil zumbis para as ruas de Curitiba, também incorpora as atrações e fecha o enredo, embora sejam eventos diferentes.

PROGRAMAÇÃO

Na edição 2019, além dos tradicionais nomes, terão muitas estreias no palco do Jokers Pub, como o Garotos Podres, punk rock de primeira com muito engajamento político; o Test Pilots, da Suécia (um dos grandes nomes da nova geração do Psychobilly Europeu); Rancho Relaxo que é um dos nomes de grande destaque da crescente cena psychobilly argentina; Tom White & The Mad Circus da cidade de Budapeste, na Hungria; o Agrotóxico que traz sua pancadaria sonora para a noite de abertura na sexta-feira; o Psycho Daime estreando no festival com figuras carimbadas da cena curitibana; o trio paulista Time Bomb Girls; a banda de surf music Wood Surfers, de Londrina; João Cascaio, de Curitiba, com seu country’a’billy; os surfpunkers do Drakula, de Campinas; e finalmente o Diddley Duo de Curitiba, com sua sonoridade única.
Fora esses nomes, temos as bandas já tradicionais e carimbadas na cidade e no estilo, como o Hillbilly Rawhide, que lançará seu disco novo; a super banda de psychobilly Sick Sick Sinners, tocando as músicas do último Ep Bloody Heritage; Os Catalépticos, histórico grupo curitibano que cunhou o nome do Brasil no psychobilly universal; Tampa do Caixão, psychobilly catarina; KIingargoolas; Mullet Monster Máfia; O Lendário Chucrobillyman, punkrockprimitivo; Red Lights Gang; Spitfire Demons; Jinetes Fantasmas; Frenetic Trio e, para encerrar o espetáculo, a banda Ovos Presley.

A ZombieWalk acontece no dia 3 de março, domingo, à partir das 12:00 hs. A concentração inicia ao meio dia, na Boca Maldita, próximo à Praça Osório, em Curitiba.

 

PREÇOS

Ingresso para uma noite no Psychocarnival (sexta, sábado, domingo ou segunda): R$ 60,00. Ingresso para três noites no Psychocarnival (de sábado a segunda): R$ 170,00. Passaporte para quatro noites no Psychocarnival: R$ 200,00. Nas compras pela internet, há a cobrança de taxa administrativa de 10% em todos os valores.

Anterior LINDSEY VONN, UMA DAS MAIORES ATLETAS DO MUNDO, ANUNCIA APOSENTADORIA
Próximo OPÇÕES DE ESPORTE E LAZER PARA O FINAL DE SEMANA - 16 E 17 DE FEVEREIRO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *