Vinil Trinta e Um

WagnerRengel

OUÇA:

 

LEIA:

A vida da gente é uma doideira

Eu queria que tudo ficasse mais leve

Mas tem sempre um certo incômodo

E no fundo você também sabe

(Não sabe?)

Quando me sinto triste

Andando sem eira, nem beira

Com raiva ou desanimado

Um peso de uma certa covardia

 

Não tem régua que oriente

Não tem nada no presente

É tudo cinza ali na frente

 

Resposta quando se encontra

Desse mal que atormenta

Vira o disco

(Lado bê)

Quando a coisa se orienta

 

É palavra que conforta

Diz que a vida é assim mesmo

Nessa fruta tem caroço

Resto, bagaço, enrosco

Ué! Se vira! É o que resta!

Se reinventa!

 

Segue a vida

Toca o baile

 

Nessa dança sem parceiro

Ser humano é desse jeito

Nada lhe deixa faceiro

Nunca se faz por inteiro

 

Ainda bem!

(diz o poeta)

Salve essa vida desencontrada

Que seja assim atrapalhada

Na palavra que nunca completa

 

Nessa toada, cansado

Vou virando um ano a menos

É só isso

(infame calendário)

 

Vou chutar o balde

Dizer para o Santo: me largue!

Me deixe seguir assim torto

Não quero nenhum milagre

 

Só penso em findar um poema

É que esse tal desconforto

Comichão na minha mão

Me deixa assim num problema

 

De não querer tão cedo

Ser mais um lá no sistema

De quem já foi para o vinagre

 

E lá se foi mais um ano

Termino aqui assim mesmo

Antes que outro comece

Antes que tudo acabe.

 

ASSISTA:

Anterior Terceira Via - 12/12/2018
Próximo Um minuto de silêncio em homenagem a Waltel Branco

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *